quarta-feira, 25 de janeiro de 2017



Carta Para David

Filho amado, falta pouco menos de um mes para sua tão festejada chegada. Estamos te esperando com muito amor, como toda criança merece, e conscientes, eu e sua mãe, da doce responsabilidade que é lhe receber e propiciar totais condições para seu desenvolvimento físico, psíquico e espiritual.

Infelizmente muitas crianças não tem a sorte de ter um pai que lhes propicie nem as mínimas condições materiais necessárias, quanto mais de assumir o real sentido da paternidade que é a presença amorosa, a proteção sem exageros, pois haverá momentos em que deixarei você escorregar para que aprenda com as experiências da vida, além da guiança ética e intelectual que os incautos tentam atribuir à escola.

Meu desejo é que você cresça com muita amorosidade, pois o Amor é o caminho para experienciar Deus, e que sustente um caráter firme e força moral para lidar com as querelas do mundo, posto que somente os seres humanos que tem a consciência tranquila de seus atos podem ter paz, e sem paz não existe felicidade.

Cabe a mim, neste processo, observar suas necessidades, te escutar atentamente, orientar de forma amorosa e paciente, estimular a capacidade de raciocínio, discernimento e introspecção, mas principalmente exemplificar no dia a dia o que verbalizo para você.

Na rua você lidará com padrões dissonantes do que observará em casa, mas estes, apesar de majoritários, não são saudáveis. A grande maioria das pessoas se encontra enferma do corpo e da mente: agitadas, ansiosas e confusas, não gozam do mínimo de paz. Não aceite o estado de infelicidade como condição humana natural.

Vibro para que você compreenda o quanto antes que devemos amar, respeitar e não causar dor ou sofrimento a nenhum ser vivente, que agir com educação, honestidade e dignidade não é virtude, mas obrigação, que a gratidão é um valor fundamental, que as mulheres são tão capazes, dignas e importantes como os homens, que a orientação sexual dos indivíduos deve ser respeitada integralmente e nada tem a ver com caráter ou dignidade, e que as diferentes religiões são caminhos que a consciência de cada um escolheu para caminhar em direção a Deus, não existindo, pois, hierarquia ou superioridade entre elas.

Essas singelas palavras seriam absolutamente dispensáveis numa sociedade minimamente saudável. Contudo, os indivíduos em geral, em pleno século XXI, ainda maltratam a si mesmos, aos animais e a natureza como um todo, não aprenderam o significado de gratidão à vida, à mãe Terra e à ancestralidade, não reconhecem as mulheres como iguais (até mesmo boa parte delas devido a impregnações culturais não se percebem assim), os homossexuais são discriminados e perseguidos em larga escala, além da galopante intolerância religiosa, alimentada por uma visão etnocêntrica e absolutamente ignorante em relação à condição humana. São desafios que você terá de enfrentar. Os enfrentei, venci e hoje posso escrever-lhe essas linhas que te mostrarei quando for um adolescente e já tiver a capacidade de compreensão adequada. Certamente você também vencerá.

Desejo especialmente que tu desenvolvas empatia pela dor alheia, perceba que se encontra intrinsecamente ligado a todos seres viventes e sempre esteja disposto a ajudá-los em suas necessidades, mas que o ato de auxiliar não desestimule o caminhar do outro com as próprias pernas. Você entenderá essa sutileza com o tempo.

Os desajustes do mundo são reflexo de um conjunto de consciências que ainda vibra numa faixa egoística. Cada ser humano tem seu dever e responsabilidade nesse processo. Com a cura dos indivíduos o mundo será curado. Aprofunde-se em si mesmo, torne-se consciente e então trabalhe no sentido de estimular o despertar do potencial latente daqueles que estiverem a seu alcance. Seja um agente de cura e transformação!

Sinto essas palavras como minhas para você, mas também como suas para mim. Compartilharemos muitos momentos especiais como esse em breve!

Nenhum comentário:

Postar um comentário